<We_can_help/>

What are you looking for?

<Agrosummit 2021/> Bem-vindos

d

Copyright @ Select-themes

Follow us

Trinta toneladas de hortícolas diversas começaram a ser colhidas hoje, no centro de produção do Sambo, município da Chicala-Cholohanga, pelos Serviços Prisionais do Huambo, no quadro da estratégia de auto-suficiência alimentar dos reclusos.

Entre outros produtos, estão a ser colhidos cebola, couve, repolho, cenoura, beringela e alface, cultivados durante a segunda fase da campanha agrícola 2020/2021, em sistema de rega.

O chefe do Departamento de Produção do Estabelecimento Prisional do Cambiote, Ricardo Samba de Jesus, disse à imprensa, que os produtos foram cultivados no âmbito do processo de aposta na actividade agro-pecuária para a diversificação da dieta alimentar, com o envolvimento dos próprios reclusos na cadeia de produção.

Avançou que os produtos foram produzidos em 11 hectares, com o envolvimento de 100 reclusos condenados, dos blocos masculino e feminino.

Ricardo Samba de Jesus referiu que a instituição está a dedicar-se, igualmente, na fruticultura, criação de um apiário com 40 colmeias instaladas, das 100 previstas, povoamento de alevinos de tilápia em seis tanques e aves de postura.

O responsável apontou a falta de fertilizantes, de sementes melhoradas e de equipamentos de trabalho, como as principais dificuldades que enfrentam.

Já o vice-governador para os serviços Técnico e Infra-estruturas da província do Huambo, Leonardo Severino Sapalo, valorizou a iniciativa, por considerar ser uma medida que se enquadra nos desafios da promoção do agro-negócio no país.

Nesta conformidade, o responsável encorajou a direcção do estabelecimento prisional a continuar a dinamizar a actividade agrícola.

Leonardo Severino Sapalo fez saber que Governo da província vai, no âmbito dos programas do sector agrícola implementados pelo Estado angolano, continuar a apoiar a unidade prisional com instrumentos de trabalho.

O Estabelecimento Penitenciário do Cambiote, inaugurado em 2012, com uma capacidade para acomodar 820 reclusos, alberga actualmente mil e 284 presos em ambos os sexos, entre detidos e condenados.

Trinta toneladas de hortícolas diversas começaram a ser colhidas hoje, no centro de produção do Sambo, município da Chicala-Cholohanga, pelos Serviços Prisionais do Huambo, no quadro da estratégia de auto-suficiência alimentar dos reclusos. Entre outros produtos, estão a ser colhidos cebola, couve, repolho, cenoura, beringela e alface, cultivados durante a segunda fase da campanha agrícola 2020/2021, em sistema de rega. O chefe do Departamento de Produção do Estabelecimento Prisional do Cambiote, Ricardo Samba de Jesus, disse à imprensa, que os produtos foram

Mil e 320 camponeses, entre os quais 160 ex-militares, afectos a dez cooperativas agropecuárias dos municípios de Icolo e Bengo, Cacuaco e Quiçama beneficiaram hoje (sexta-feira) de dez tractores e suas alfaias. O acto, realizado na cooperativa agropecuária e avícola “Os abraçados”, na zona do wala-Mazozo, foi presidido pela ministra da Acção Social,  Família e Promoção da Mulher, Faustina Alves. De acordo com a ministra, estes meios são parte de 500 tractores disponibilizados pelo Executivo, visando acelerar a reintegração dos ex-militares. Recomendou as

O município do Pango Aluquém prevê colher, no final da campanha agrícola 2020/2021, cerca de 30 toneladas de produtos diversos, menos 10 toneladas em relação ao período homólogo, devido às fracas chuvas registadas na localidade. As fracas chuvas e a falta de inputs na região, no presente ano agrícola, estão a contrbuir na redução das colheitas no município, cuja produção média é estimada em 180 toneladas/ano. A região é potencialmente rica em produtos como a mandioca, banana, batata-doce, laranja, tangerina, limão, abóbora,

A escassez de sementes e fertilizantes poderá comprometer a agricultura familiar na comuna da Calenga, município da Caála (Huambo), durante a época agrícola 2021/2022, apurou a Angop, esta quarta-feira. Trata-se de famílias camponesas que perderam as suas culturas na campanha agrícola 2020/2021, devido à seca. Em declarações à Angop, alguns camponeses afirmaram que estão a enfrentar dificuldades na aquisição de sementes, com os preços a aumentarem a cada dia que passa, a exemplo do milho, feijão, batata-rena e as hortícolas. Acrescentam que a

A província de Cabinda tem registo de níveis muito baixos da produção do café e cacau, desde a retoma da actividade, cuja campanha da colheita arrancou em 2020 na aldeia de Chapa, comuna de Dinge, município de Cacongo, cerca de 80 quilómetros a norte de Cabinda. Cinquenta toneladas foram as metas preconizadas pelos produtores para a safra, nos diferentes campos de produção, nos quatro municípios da província, durante a campanha, 2020/2021. Em entrevista a Angop, o responsável pelo departamento do Instituto Nacional